30 de maio de 2013

+ um.

E pronto.


O tempo tem sido pouco. A inspiração abaixo de zero. A rotina... mais que muita.
Mas hoje é diferente. TEM de ser um dia diferente. Felizmente há sol... o que até dá um certo ânimo.


Sempre ouvi dizer que depois dos trinta tudo muda. E à medida que eles avançam a mudança é notória.
As rugas de expressão estão cada vez mais presentes. Os cabelos brancos começam a espreitar, timidamente. A lei da gravidade começa a tomar conta da situação sedentária (e por isso mesmo, caótica) que o meu corpo tem vivido nos últimos tempos. A cabeça pesa os prós e contras da razão. A necessidade de evasão e mudança torna-se constante. O medo de arriscar, também.
Mas apesar de todas as adversidades, o coração continua a bater da mesma forma. Acelerado sempre que sorrio, que fico feliz. Sempre que sou mimada pelos meus. Em todo e qualquer momento em que vejo sempre o outro lado. O lado melhor da vida. E isto, vale mais que muito.

Hoje é um dia diferente. Especial. Pelo menos para mim.


3 de maio de 2013

O segredo está na uva... preta! ;-)

E afinal.. é "claro como água": o vinho tinto ajuda a emagrecer!!!!

Acabaram-se as dietas de fazer colar as paredes do estômago às costas! Acabaram-se os comprimidos "milagrosos" cujo único milagre que fazem é fazer desaparecer o dinheirinho da carteira...

Tudo se resume a um copo (ou mais) de vinho. Tinto.

"A novidade é que o vinho tinto segura o ponteiro da balança por causa de uma substância chamadapiceatanol. Ela retarda a geração de células jovens de gordura e as impede de se transformar em células maduras. Essa conclusão é de um estudo feito por cientistas da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos." Ler aqui.

2 de maio de 2013

Fim de semana recheado....

... de coisas boas! :-)

Dizem os entendidos que teremos um fim de semana com bom tempo (eu nestas coisas sou cautelosa porque já me aconteceu de tudo por isso... é esperar para ver).

E coisas giras para se fazerem não vão faltar.

Senão vejam!

Domingo, dia 5, para além de ser dia da mãe, é o tão aguardado (pelo menos por mim) concerto dos The XX. Em Belém. Que começa a meio da tarde e prolonga-se pela noite dentro. Que combinação boa, esta!!!!

Ou então, que tal espreitarem a exposição "Clarice Lispector - A hora da Estrela"? Está patente até dia 23 de Junho, na Fundação Calouste Gulbenkian, e é possível visitar entre as 10h e as 18h. Nota: ao domingo não se paga! ;-)

Deixo ainda uma última sugestão. Diferente mas igualmente interessante.

A "Venda de Quintal", uma feira alternativa de produtos handmade, vintage ou simplesmente fresh. Acontece entre as 11h e as 20h, na Rua Senhora do Monte, em Lisboa. Entrada gratuita. Se tiverem facebook, espreitem em: https://www.facebook.com/events/153214744848250/

Divirtam-se!!!

25 de abril de 2013

Viagem em grupo...

Lembrei-me de aproveitar o feriado e rumar, em liberdade, até à Galiza.
Trouxe comigo o amor R. e uma amiga. E o sol não se fez de rogado. Acompanhou-nos a viagem toda. E por aqui irá permanecer.
No entanto, e sem ser convidada... veio também uma conhecida: uma valente constipação.
Serão uns dias muitos bem passados, parece-me! :-(

21 de abril de 2013

O Mundo Toca Aqui #15

E eis que chega ao fim esta rubrica (fim de) semanal.
Por isso... nada melhor que chegar ao fim, no fim de semana. Mesmo no fim da semana. Domingo.
Foi muito bom dar-vos música!
Abreijos.

Caetano Veloso - Abraçaço (CD Completo 2012)

18 de abril de 2013

14 de abril de 2013

O Mundo Toca Aqui #14

Mais um fim-de-semana... mais um álbum. Numa espécie de regresso ao passado.

Com sol... muito sol!!! :-)


Abreijos!


Leonard Cohen - Death of a Ladies' Man [1977] Full Album

9 de abril de 2013

Silêncio

Odeio!
Odeio o silêncio injustificável, nocivo. Que tortura, magoa, confunde...
Mais do que o silêncio, não suporto quem adopta (e se encosta a) esse comportamento como forma de resolver o que quer que seja.
Falta de respeito, carácter e honestidade.
Não compreendo. Não aceito.
Tenho dito.

6 de abril de 2013

Estava para aqui a pensar... #5


... que temos mais um licenciado (até ver!) desempregado no nosso país!

Será que está a ponderar emigrar??

Ai as estatísticas....

O Mundo Toca Aqui #13

Mais um fim de semana... cheio "Of Monsters and Men".

Enjoy! :-)

e ao minuto 9:26 uma das minhas preferidas: Little Talks

30 de março de 2013

Sun.Sun.Sun

I Love It!!! :-)



Que bom! Que maravilha este solinho que se faz sentir...!!
É tãooooo bom acordar com a sensação (mais do que certeza!) que estamos em plena Primavera.
Vou aproveitar ao máximo o dia de hoje (porque já ouvi que... este, é sol de pouca dura. Amanhã o inverno regressa, dizem).
Enquanto isso... um pulinho até à praia!!!! O verbo de hoje é: Esplanar!!! :-)


29 de março de 2013

Estava para aqui a pensar... #4


"Vivia agora numa equação contraditória mas cujo resultado era permanente e irracional. Amava-a. Detestava-a. Amava-a. Desprezava-a, achava-a fútil e irritante. Adorava-a.
Sentisse o que sentisse, estava fascinado por ela, desejava-a intensamente e nada lhe recusava, com medo que ela o deixasse. Nem gostava que ela viajasse sozinha, sentia uns ciúmes de morte." (José Anjos)


Começo este post com uma citação. Um excerto de um fantástico texto que encontrei neste blog que aconselho a visitarem.
Eis que dou por mim a pensar que às vezes isto acontece. Querer ter e não ter. Não ter a certeza do que se quer. Querer algo ao mesmo tempo que se tem a perfeita noção de não ser o melhor. Ou pensar que se quer e afinal, não se quer assim tanto, nem na mesma medida.
A dúvida, o egoísmo, a posse, o medo... de perder. Serão os ciúmes sinal de amor? Será obsessão? Poder-se-á querer estar com alguém apenas por inesgotável necessidade de atenção?

O Mundo Toca Aqui #12

Neste fim de semana de Páscoa, deixo-vos doces melodias... Hope you like it! ;-)


Andrew Bird

27 de março de 2013

Porque não se pode ter tudo...

E é impossível ter-se o melhor dos dois mundos.
Somos constantemente confrontados com a necessidade - a urgência, a inevitabilidade - de escolher. E, por sua vez, de conviver com os efeitos das nossas escolhas. O que às vezes se torna mais difícil, e doloroso, que propriamente o momento da decisão.



Ou isto ou aquilo
(Cecília Meireles)

"Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!



Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!


Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranquilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo."

22 de março de 2013

O Mundo Toca Aqui #11

Este fim de semana não sugiro um álbum mas apenas uma música. Uma única mas grande música para vos encher a alma. Pior! Aconselho que seleccionem o modo repeat. Só porque sim... ou porque vale mesmo a pena.

Aguentem-se!!! ;-)



18 de março de 2013

Estou que não me entendo...

E por isso hoje é esta a melodia que paira no meu cérebro....

"Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
(...)


Esta insatisfação
Não consigo compreender
Sempre esta sensação
Que estou a perder
Tenho pressa de sair
Quero sentir ao chegar
Vontade de partir
P’ra outro lugar


Vou continuar a procurar o meu mundo, o meu lugar
Porque até aqui eu só

Estou bem

Aonde não estou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não vou (...)"




16 de março de 2013

O fim.


- O Fim das Coisas -

Ao longo do tempo acontecem coisas,
Vivem-se as coisas,
E coisas há que se perdem… no tempo.
A estas, chamo-lhes… contratempo.
Umas vezes em contrarrelógio,
Outras, lentamente levadas, ao sabor do vento.
Ambas cedem o seu lugar a este tormento,
Que me habita.
Partem e deixam-me, assim, 
Partido.

(GE)

O Mundo Toca Aqui #10

Mais um fim-de-semana.... mais uma sugestão musical.

Abreijos!


15 de março de 2013

O poder das palavras


Dou por mim a pensar na força das palavras.
E na forca em que muitas delas se tornam quando não as esperávamos ouvir. Quando nos obrigam a calar, a matar, o que estava ainda por vir.

12 de março de 2013

Retrato do turismo em Portugal em 3 minutos. Será?


Bem... já há algum tempo que andava a moer neste assunto. No vídeo - com o título "Portugal, Portugueses" - que em 3 minutos e 12 segundos apresenta testemunhos de turistas de diversas proveniências a recordarem as suas férias em Portugal. 



Começa com dois rapazes que entre vários elogios ao país destacam a "Ana" como o melhor e culmina na holandesa Marilie que não esquece o Daniel, seu instrutor de golfe a quem, depois, dá um romântico beijo na boca. A mensagem final do vídeo enaltece o facto de "oferecermos a quem nos visita momentos de felicidade"....

Bem, opto por não comentar. Falham-me palavras....
Em vez disso partilho também o fantástico programa matinal  da TSF - Tubo de Ensaio - do Bruno Nogueira.

Realmente... rir é o melhor remédio!

11 de março de 2013

Carta a S. Pedro


Portugal, 11 de Março de 2013

Querido S. Pedro,

Pois que por aqui... continua tudo na mesma: cinzento! As cores teimam em não aparecer, a chuva (torrencial) teima em cair acompanhada da leve brisa que se faz sentir (a mais ou menos 100km/h) e de um ou outro relâmpago maroto.
Definitivamente: O inverno parece querer ficar para sempre! Deve gostar de nós ainda que não gostemos assim tanto dele.
A ti' Maria já se constipou quatro vezes este ano (e olha que ainda só estamos em Março). Esqueceu-se de tomar a vacina da gripe senão podia ser que tivessem sido só três...
Está frio. Muito! E o Manel está farto de se queixar que não é nenhum "esquenta pés". Diz que o uso a meu belo prazer. Vejam bem...
Sinto saudades do sol que queima a pele (previamente besuntada com factor 30), do calor que nos faz tomar aquele banho de transpiração em plenas tardes alentejanas. Aii... (suspiro).
Por isso, envio-lhe esta carta. Para agradecer, em nome da Sra. Ministra Cristas, o contributo que tem dado às colheitas deste país e para o informar que, por hora, já chega! Uma sugestão: meta baixa, tire férias mas... desapareça por uns meses. E ficamos todos felizes.

Despeço-me com elevada estima, enviando votos de boas férias.

Um beijinho molhado (da chuva).

(Pinga)-Amor.

10 de março de 2013

pensamentos em voz alta #1

Ela: De vez em quando ele desaparece. Diz que tem uma vida complicada. Na verdade, penso que complicado é... ele. Que nunca sabe o que quer. Ou que quer tudo comprometendo-se com: nada. Enviou-me uma mensagem. Depois de horas em silêncio. Apetece-me responder-lhe... mas calo-me. Provavelmente não lhe iria dizer nada sensato. E não me apetece discutir. Não me apetece ensiná-lo a tratar bem o Outro. Já somos ambos crescidos. E ele deveria agir como tal. Enquanto isso refugia-se nos seus problemas.
Mais uma vez fico a pensar: porque é que as minhas histórias são sempre difíceis? Porque é que em todas avisto um fim mesmo antes do seu início?
Continuo sem lhe responder. Mas a moer-me por dentro.


Ele: Reconheço. Raramente estou bem. Estou numa fase difícil em que não me reconheço. Em que perdi tudo, inclusive a minha sanidade. Às vezes é assim que me sinto. Perdido. Infeliz. Ela entrou na minha vida de repente. E faz-me bem. Ainda que eu não mereça. Não tenho o direito de a fazer perder tempo comigo. Não tenho nada para lhe dar. Mas ela trata-me bem e isso... agrada-me. Há momentos em que me lembro disto e peço-lhe atenção. Ontem fiz isso. Enviei-lhe uma mensagem. Não me respondeu. Provavelmente estava a divertir-se, coisa que não faz comigo. Ainda bem que não respondeu. Hoje sigo. Na minha triste vida. Em que só existo eu.

9 de março de 2013

O Mundo Toca Aqui #9

Mais um fim de semana.... mais música no "ar".

Enjoy it! ;-)

* Abreijos *
1.- Compulsion 00:00 
2.- In a Manner of Speaking 5:38 
3.- Smile in The Crowd 9:52
4.- Gone 14:57
5.- Never Turn Your Back on Mother Earth 18:30
6.- Motherless Child 21:38

8 de março de 2013

Que dia é hoje?

Hoje. Tal como ontem, tal como amanhã. Todos os dias. Sem excepção. Sempre. Mulher.


Because everything she does comes from within. From some dark impulse. I guess that’s what makes her so thrilling. So dangerous. Even perfect at times, but also so damn destructive.
(in http://acessorestrito-pm.blogspot.pt)

7 de março de 2013

Condescendência


Estes últimos dias têm sido... no mínimo estranhos.


Dou por mim a pensar... na verdade, a tentar entender o ser humano. Chego à conclusão que não há ninguém, pelo menos que esteja já em fase adulta, que seja completamente "normal". Ou, como se diz na gíria, que jogue com o baralho todo. Seja por traumas, estados depressivos, estado civil complicado (ou que entretanto se 'descomplicou'), inseguranças, seja pela crise que assola o país e a alma, ou por qualquer outra razão... que a própria razão desconhece. E é isto que, aparentemente, justifica qualquer gesto menos correcto, desrespeitoso e/ou atitude que ultrapassa a dita 'normalidade', surpreendendo-nos abruptamente. Também é certo que, felizmente, isto acaba por ser mais notório em apenas algumas pessoas, tendo outras a capacidade de autocontrolo.

Ainda assim, questiono-me. Será que essas fases "menos boas" pelas quais as pessoas passam desculpam todos os comportamentos que possam vir a ter para connosco? Até quando devemos permitir "maus humores", silêncios repentinos, dúvidas para com a nossa atenção e disponibilidade,...? Até chegarmos ao limite da paciência? Condescendência... este tem sido o "palavrão" dos últimos tempos.

Mas, por outro lado, chego à conclusão de que é no preciso momento em que me cruzo com algumas dessas pessoas realmente 'perturbadas' que me sinto uma pessoa normal. Infelizmente. Há males que vêm para bem. Para o nosso bem. Será?

5 de março de 2013

Querer (-te)


"Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que fosses o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreendes? Não queria pedir mais do que tinhas, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era teu."

(Caio Fernando Abreu)

4 de março de 2013

Estava para aqui a pensar... #3

.... naqueles dias!

Aqueles em que, quando pensas que nada pior pode acontecer e... surpresa (!). Afinal é possível o dia tornar-se mais negro ainda. Bah!!!


3 de março de 2013

Advertising: BigNeura... i'm lovin' it !

E quando quase nada corre como planeado? Pois, os últimos dias têm sido assim... catastróficos.
Este domingo não é excepção...
A neura hoje é grande e por isso... está-me a dar uma grande vontade de cometer um atentado.
No caso, contra a minha saúde e a favor da celulite... :-(
É oficial! Apetece-me "chafurdar" num mega hamburguer. Assim... como se não houvesse amanhã. Nem balanças para nos fazer pesar a consciência.
Alguém me quer acompanhar nesta grande (desastre) aventura ? :-P


2 de março de 2013

O Mundo Toca Aqui #8


Hoje o modo é: "tranquilo como o esquilo" :-)



Odeio o quase....


... em quase tudo!

Quase bom... quase doce... quase meigo... quase feliz... quase perfeito.

Foi quase... assim!



"Vivo no quase, no nunca e no sempre. Quase, quase - e por um triz escapo."
(in A Cidade Sitiada, Clarice Lispector)

25 de fevereiro de 2013

And the Oscar goes to....

Sobre este assunto só tenho a dizer que, entre um suspiro e outro,... o melhor da cerimónia dos Óscares 2013 foi:

Bradley Cooper

24 de fevereiro de 2013

O Mundo Toca Aqui #7

Como vem acontecendo nos últimos tempos, deixo-vos mais uma sugestão. No caso, de um senhor que muito me encanta ouvir e que me acompanhou neste maravilhoso fim de semana.

Por isso mesmo, esta é uma sugestão que excepcionalmente se aplica a TODA a semana... porque deste lado de cá... vai estar em loop!!! :-)

Enjoy it!


20 de fevereiro de 2013

Hoje é só isto...


.... É só isto que me apetece gritar ao mundo!!!

Parece tão simples e mesmo assim há para aí muita gente que complica. Que está sempre disponível para receber mas dar... já é outra história.

O amor é importante... mas não pode ser egoísta, porra!


16 de fevereiro de 2013

O Mundo Toca Aqui #6

Bem sei que mal tenho parado por aqui... nem tempo para responder aos vossos comentários que muito agradeço.

É bom ter-vos por cá! :-)

Vou tentar que a minha vida volte à "normalidade" na próxima semana. Não com mais tempo ou menos trabalho... mas pelo menos com maior organização.

Até lá, e como acontece todos os fins-de-semana, fiquem com mais uma sugestão musical.

Abreijos!


14 de fevereiro de 2013

O que é o amor?

Hoje é dia 14 de fevereiro... aparentemente é dia dos namorados. Digo aparentemente porque, na realidade, parece-me que o dia dos namorados serão todos os dias que um casal viva com amor. Aborrece-me esta história de haver "o" dia para se festejar. (tal como me aborrece o dia da mulher... mas isso são outras conversas).

Mas ainda assim, mostrada que está a minha posição sobre este assunto - recuso-me terminantemente a festejar esta data - voltando ao tema em questão e porque o tema pede para se falar em amor. O que é o amor, afinal?

Ninguém melhor que Charlie Brown para nos explicar.

E é tão simples.... :-)


10 de fevereiro de 2013

O Mundo Toca Aqui #5

Como não podia deixar de ser...

A sugestão musical do fim de semana, que se encontra em clima de festa, pede algo assim... carnavalesco.

Por isso, aqui fica, um cheirinho a "Brasil" e.... "samba no pé":


Nota: se quiserem seguir logo para um dos "hits" do carnaval... escutem a partir do 1:37:15.

2 de fevereiro de 2013

29 de janeiro de 2013

"Eu não sei se quero ir. Eu não sei se quero que fiques."

Porque merece ser partilhado! :-)


«Bolas, e com isto são quatro da manhã. Mas quem me manda a mim adormecer? E agora? Durmo cá ou vou embora?

Ela está a dormir tão bem. Fica tão bonita, assim. E se acorda e não me vê? Não, não posso sair de mansinho, sem me despedir. Isso não se faz. Mas não me apetece dormir aqui. A cama é pequena e ainda por cima ela é encalorada. Um frio do caraças e ela com a janela aberta. Vou mas é para a minha caminha. Quente! Vou dar-lhe um beijo no ombro e vou-me embora. Deixo um papel na cozinha.

Quer dizer... está-me a saber bem estar aqui. Um pouco apertado, mas aguento. E daqui a pouco ela acorda e lá vamos começar tudo outra vez... Digo eu... Eu gostava... Depois adormecemos e retomamos... Estas noites são cansativas, mas sabem bem... Se calhar fico.

Não! Não pode ser. Mas quantos anos é que eu tenho? Pareço um miúdo. Já tenho idade para saber que isto não é assim. Isto não são favas contadas. Não se fica a dormir em casa de alguém na primeira vez, a menos que sejamos convidados. Só se ela tivesse dito alguma coisa. Se calhar disse, mas eu já estava a dormir e não ouvi. Que coisa, esta, de os homens adormecerem logo depois do sexo. Acho que ainda me aguentei uns minutos com conversa e festinhas no cabelo, mas depois apaguei. Fogo, que mau aspeto.

Ainda por cima estou constipado, já devo ter ressonado, e tudo. Ressonar na primeira noite que se passa com alguém é uma coisa bonita, sim senhor. Amanhã, quando ela telefonar a alguma amiga e falar disto, de certeza que vai dizer que eu ressono.

E se eu deixar um recado na casa de banho? Escrevo no espelho, com bâton dela. E escrevo o quê? «Fui para casa porque não me perguntaste se eu queria cá dormir»? «Fui para casa porque estou constipado e não te quero pegar a tosse»? «Fui para casa porque a tua cama é estreitinha e tu és espaçosa»? A cama é dela, ela dorme como lhe apetece. Nestas coisas, o dono da casa fica sempre em vantagem. Amanhã vai acordar na cama dela, na casa dela. Não tem de pensar em nada disto. Eu é que estou para aqui indeciso, e a fazer uma ginástica do caraças, a tentar não ir parar ao chão.

Vou virar-me para fazer conchinha. Mas assim vou acordá-la. Não era mal pensado, acordá-la. Pelo menos resolvia-se isto do ir ou ficar. Não, deixa-a estar. Está tão ferrada no sono.

Às tantas ela acorda de manhã, olha para mim e faz aquela cara: "Mas o que é que este gajo ainda está aqui a fazer?" E se me pergunta alguma coisa? O que é que eu digo? "Ah, e tal, não fui embora porque não sabia que era para ir embora."

Já sei. Acordo mais cedo e preparo-lhe o pequeno-almoço. Faço umas torradas. E um sumo de laranja. E se ela não tem pão? Nem laranjas? Posso ir comprar. E depois como é que eu entro em casa? Se calhar ela é daquelas que não gosta de sumos. De manhã só bebe café. Além disso, não me vou pôr para aí a abrir os armários. Se ela acorda com o barulho dos armários dela e um gajo a cirandar na cozinha, pode não gostar.

Se calhar estou a pensar demais. Estou a complicar. Vou ficar. Que se lixe. Ela deve querer que eu fique também.»

....................

«Mas este gajo não para quieto? Na única altura que não se estava a mexer, estava a ressonar. Irra! Ainda por cima queria conversa depois do sexo. Eu a querer dormir e o gajo a fazer-me festas. Não há pachorra. Ou me agarra de uma vez, ou pega nas calças e vai para casa.»

(Paulo Farinha, in Diário de Notícias Magazine)

direitos (des)humanos?!

A propósito da notícia recente da mãe que tem 10 filhos...
Dei por mim a pensar:
Uma coisa é a forma como alguém trata os seus filhos. E quanto a isto, sou plenamente de acordo que o bem estar das crianças está acima de tudo. Mesmo que isto implique estar longe dos pais biológicos. Os direitos das crianças são sempre superiores.
No entanto, querer obrigar uma mulher (seja ela quem for) a laquear as trompas.... e retirar-lhe os filhos (2, 7 ou 20) por esta se ter recusado a fazê-lonão será ultrapassar/ultrajar aquilo a que conhecemos como "Direitos Humanos"?!

Vale a pena pensar nisto...

28 de janeiro de 2013

O Mundo Toca Aqui #3

Benvindos à rubrica semanal... mas espera lá...

Hoje é sexta?!
É sábado?!
É domingo?!

Não!!!

Mas... o fim de semana começa (e termina) quando bem entendermos e o meu, pelos vistos, está com um ligeiro delay (vá!).

Ainda assim... fica a sugestão:


o segredo para ser feliz (shhhh)

Hoje é apenas isto:

“A felicidade dá muito trabalho a construir. Mas arrastarmo-nos pela nossa curta existência sem a saborear, só pode transformar-nos em seres infelizes e amargurados. Por isto tudo, roube ao mundo uns preciosos minutos para si. E olhe o futuro. O segredo, no fim de contas, é acreditarmos em nós mesmos e também aprender a gostar de nós.”
(Luísa Castel-Branco)

25 de janeiro de 2013

the day after "The Day"!

Hoje foi um dia tão saboroso! Ahhhh.... [ suspira ela ] .... hoje foi o dia depois de ontem!
E estão vocês neste momento a pensar "Ela está louca! Então mas isso já toda a gente sabe!"
Certo, certo!
Mas hoje, este dia depois de ontem, foi "somente" um dia de suspiros... e sorrisos. Porque ontem... ONTEM... foi um dia fantástico!!!
E isto vocês ainda não sabiam.... ;-)

Espero que o vosso tenha sido fantabulástico também. O dia de hoje e o dia de ontem!

Abreijos!

23 de janeiro de 2013

V de Valores. V de Vaticano.

E parece que... uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa.

Hoje, aquando da leitura de algumas notícias (porque aqui a criatura precisa de se manter minimamente informada sobre o que se passa, no seu mundo e arredores) deparei-me, aqui, com estas "gordas":

Vaticano comprou em 'segredo' prédios de luxo em Londres


Vá! Não sejam maldosos....
À primeira vista parece um despautério mas eu tenho para mim que isto não é mais do que uma obra de caridade. Uma forma simpática, eu diria, de pensar no próximo.
Tão só porque, no fundo (lá mesmo bem no fundo do poço) certamente que se trata de um investimento para a curto, médio... longo prazo, vá... acolher os sem-abrigo. Condignamente.
Não vos parece?!

palavras para quê?



22 de janeiro de 2013

Já ouviram falar??


Hoje este post é dedicado às palavras.
Para qualquer blogger estão são imprescindíveis. São elas que nos aproximam de todos aqueles que nos leem. Através delas dou-vos a conhecer (ou a relembrar) um maravilhoso e imperdível evento que vai acontecer esta 5ª feira em Lisboa, no Musicbox, com início marcado para as 22h30. Apareçam!!!

"SLAM LX, A POESIA DITA PELA VOZ DE QUEM A ESCREVE!

O Slam Lx está de volta ao palco do Musicbox. Nesta segunda série, a palavra é soberana e o Poetry Slam irá continua a revelar novos nomes da poesia dita pela voz de quem a escreve.

Neste novo formato, o mestre de cerimónias continua a ser FILIPE HOMEM FONSECA que, com o humor que é seu timbre, apresentará e entrevistará todos os convidados e participantes em cada sessão.
...
Num formato que se aproxima de um talk show, a noite encontra-se dividida em 5 partes, com início às 22h30.

LIVE POETRY ACT – Um momento de humor e Slam por 4 dos mais reconhecidos performers portugueses; são eles Víton Araújo, José Anjos, Sérgio Coutinho e Leandro Morgado.

POETRY SLAM, torneio de poesia em 2 eliminatórias onde 6 concorrentes têm 3 minutos cada para declamar o seu poema. Os 3 mais votados passam à final de onde sairá o vencedor da sessão. O júri desta sessão é presidido pelo jornalista e letrista NUNO MIGUEL GUEDES, acompanhado pelo poeta e slçammer JOSÉ ANJOs e pelo slammer VÍTON ARAÚJO. Serão ainda escolhidos aleatoriamente mais 2 elementos do público. O vencedor de cada sessão participará numa sessão final a decorrer no Festival Silêncio.

PSICOKILLER é uma rubrica em que uma personalidade ligada à palavra (poeta, escritor, jornalista, intelectual, político, cantautor...) é entrevistado pelo psicokiller sobre temas ‘quentes’ da atualidade. Nesta 3ªsessão a convidada é a escritora PATRÍCIA REIS.

MAGIC POETRY, o slammer e ilusionista LEANDRO MORGADO, apresenta alguns números de magia em torno da palavra e da poesia

OPEN MIC, a fechar a noite terá lugar uma sessão de microfone aberto ao público presente com a participação do poeta e slammer VÍTON ARAÚJO!"

Fica a sugestão... :-)

18 de janeiro de 2013

O Mundo Toca Aqui #2

E porque sábado e domingo não terei oportunidade de aqui passar... e o prometido é devido.

Deixo-vos já hoje (a umas horas do fim de semana) mais uma sugestão nesta rubrica semanal. Porque estes dias pedem algo assim... para "abanar os ossos"! ;)

Espero que gostem. Ou, se não gostarem, que pelo menos me poupem o ecrã de tomates, ovos, lenços brancos ou outros objectos e gestos menos próprios. ahahahahah





(nota: hoje estou 'impossível' de aturar. Mas isto.. é muito bom!!! :-) abreijos!)

em maratona... à minha maneira!


God!!
Que saudades deste mundo!!!
Pois é... não tenho tido tempo para nada. Ou melhor, tenho tido tempo para muito pouca coisa... No fundo, tenho feito uma maratona. À minha maneira, é certo. Digamos que uma coisa assim mais para o "mental" e menos física [por falar nisso... este corpinho anda a pedir mais movimento de pernas, braços e menos barriga ]. Uma grande corrida contra o tempo e os seus imprevistos. Já diz o ditado: "quem muitos burros toca, algum fica para trás". E sinto que é isto que tem acontecido. Tenho tocado muitos "burros" mas pelos vistos tenho sido muito 'meiguinha' pois têm ficado vários pelo caminho...



Ainda assim, cheira a fim de semana, com direito a sorrisos e brilho nos olhos. Sem pensar (muito) no que fica, no que falta. Porque eu... mereço! ;)







(Esta passagem é rápida, quase como uma visita de médico, mas não podia deixar de vos desejar um fim de semana fantabulástico. 'Vemo-nos 2ª feira!)

14 de janeiro de 2013

Não há ponta que me pegue!

Já vos aconteceu terem tanto para fazer e não saberem por onde começar?
Hoje estou assim... "embaralhada" das ideias. Olho pela janela... está de chuva, não há sol, ouve-se o vento. Olho à minha volta... papéis, livros... em pilha. Penso inclusive na quantidade de árvores que morreram para agora estarem aqui, a fazerem-me companhia (desnecessária). Olho a chávena do café que sustenta o peso dos meus olhos (ai, como invejo "la siesta"). O e-mail... (suspiro!).
Sei que devia começar por algum lado... por uma "ponta". Ao invés, estou à espera que essa (ou outra qualquer) "ponta" me pegue e me faça despertar desta apatia. Isto porque acredito no ditado: "Se Maomé não vai à montanha..."
Hoje estou que não me entendo. E nem sequer me recomendo. É isso!



P.s - por falar em montanha.. bem que me sabiam agora umas férias. Na Serra. Ou numa qualquer ilha tropical, vá.

13 de janeiro de 2013

"Les Miserábles": a crítica que disse tudo


Nesta semana que agora finda tive oportunidade de ir ver um dos filmes que está nomeado para os Óscares e que muita curiosidade me causava pela belíssima história que conta: "Os Miseráveis".

Sim, certo! Todos nós já sabemos que, originalmente, se trata de um musical. Todos nós sabemos também que, por isso mesmo, a música tem de estar presente mas... longe de prejudicar o argumento. Longe de impedir que se saia da sala de cinema sem um nó na garganta. Uma pessoa quer extravasar emoções, quer chorar, quer sair de lá com o coração despedaçado com a tragédia, o horror, o drama (ainda que fictício) dos outros. Afinal, para alguma coisa se pagam mais de 5 euros! Mas... nada! Nem uma dorzinha na alma. Assim se vê que até onde chega a crise.
Aqui me confesso: este filme (espantem-se!) provocou-me algumas gargalhadas. Não uma ou duas... mas o suficiente (demasiadas!) para deitar por terra as expectativas que tinha. Contrariamente ao que era suposto, foram causadas pelo excesso. As 2h30 completamente cantadas ultrapassaram o limite do razoável (os restantes 8 minutos distribuíram-se ao longo do filme, sem música, provavelmente por descuido dos actores... malvados!). Um miserável exagero, isso sim!
Confesso, que a partir de certa altura me senti envergonhada por ter pensado e agido desta forma. À excepção das cinéfilas que me acompanharam, a restante sala parecia estar agradada com o que estava a ver.
Eis senão quando encontro uma crítica fantástica. A crítica que diz tudo o que eu penso. E é isto:

“Les Misérables” tem um tom de exagero evidenciado pela cantoria constante, um tom que nunca sossega, nem nunca desaparece e, assim, nunca deixa o espectador aproximar-se, sentir intimidade com a história. Sentir a dor. Estamos permanentemente colados à cadeira, ou num sentimento de impaciência com a música ou num sentimento de enervamento por essa falta de intimidade.

E a mim, os nervos dão-me para rir.... Oops! :-(
Incontestável o empenho e talento dos actores. Para a representação, pelo menos. Inegável o esforço no canto. Ainda que muitas vezes não conseguido.
O filme está nomeado em 9 categorias para os BAFTA Awards. Estou expectante...



P.s - Caramba! é que nem um simples "Bom dia" conseguiam dizer sem cantar. Humpf!!! :-/

12 de janeiro de 2013

O Mundo Toca Aqui #1

Hoje deu-me para isto!
Decidi que este post dá início a uma rubrica semanal.
Todos os fins de semana (até quando me apetecer) deixarei por aqui uma sugestão/referência musical.
Mas não apenas uma música. Deixarei um álbum completo (via youtube) para que escutem, gostem e/ou detestem. De diferentes artistas, estilos,... vou tentar ser imparcial (não vai ser fácil) nas escolhas... ;-)
Espero que os vossos ouvidos gostem. :-)

"Sem a música, a vida seria um erro."
Friedrich Nietzsche

E para começar... aqui fica o primeiro mimo:



10 de janeiro de 2013

Odeio "bichas"!

Ontem foi um dia terrível. E terrivelmente bom.
Ainda que tenha sido o aniversário do meu pequeno Príncipe, foi uma batalha tremenda organizar o dia em função dele. Pior ainda... ter tempo para tudo o que tinha para fazer.
E, por isso mesmo, voltei a aperceber-me de que, quando estamos muitíssimo apressados (como qualquer barata tonta), quando precisamos de chegar a horas a algum lugar, quando temos apenas 10 minutos para fazer determinada coisa... elas aí estão para nos causar a maior das irritações: as "bichas"! Também conhecidas como filas intermináveis (vulgarmente associadas às repartições de finanças deste país), as "bichas" com as quais me deparei ontem foram absurdamente constantes. Em todo o lado! No supermercado, na estrada, no w.c. do meu local de trabalho,...
Mas como devemos colocar-nos sempre nos "pés" dos outros, tentei colar-me à pele dos outros. Não só dos que estavam atrás de mim, na referida "bicha", mas também dos que, nos dias em que habitualmente me encontro sem pressa, consideram-me o atraso da suas vidas!
Fica um conselho: em caso de stress... let's dance! ;)



8 de janeiro de 2013

estava para aqui a pensar... ##2

... em quão fascinante é a questão da mudança ou da simples adaptação.
É estranho, por vezes, dar-mo-nos conta de que quase já não conhecemos uma (aquela) pessoa com quem partilhámos tempo e espaço da nossa vida. Tão só porque aparentemente, de um dia para o outro, os seus gostos mudaram. Será isto possível?!
Conhecer alguém que pensava de uma determinada forma, que preferia determinado tipo de música em detrimento de outras, que apreciava a lua em vez do sol, que preferia tinto em vez de branco, entre outros tantos exemplos, ..., de repente parecer-te um completo estranho. Estranho, não?
Sobretudo quando acontece sempre que se está com alguém diferente. Num relacionamento novo.
Terá isto a ver com a vontade de mudar? Ou com a necessidade de se adaptar?
Será que não mudou... apenas não a chegaste a conhecer?
Será isto sinónimo de falta de personalidade? Ou de fragilidade?
Estará relacionado com a necessidade de aprender? E quando "o outro" já pouco ou nada tiver para nos ensinar?
Será mesmo necessário fazer jus à canção: "não se ama alguém que não ouve a mesma canção"?

sweet mood

Dou-vos música!
Porque hoje estou mãos largas... e braços... em gestos e em abraços! ;)

"(...) Esse laço era um verso,
Mas foi tudo perverso,
Você não se deixou ficar.

No meu emaranhado,
Foi parar do outro lado,
Do outro lado de lá, de lá.

Ei! Hoje eu mando um abraçaço...
(...)

Um amasso, um beijaço,
Meu olhar de palhaço,
Seu orgulho tão sério...

Um grande estardalhaço,
Pro meu velho cansaço,
Do eterno mistério.

Meu destino não traço,
Não desenho, disfarço,
O acaso é o grão-senhor.

Tudo que não deu certo,
E sei que não tem conserto,
No silêncio chorou, chorou...

Ei! Hoje eu mando um abraçaço...(...)"


7 de janeiro de 2013

O amor é para os parvos!

Encontrei isto e não pude deixar de sorrir... ao mesmo tempo que entristecia por dentro.
Quantas vezes já tivemos de pôr um ponto final numa história? Quantas vezes o colocámos depois de um abraço? Quantas vezes lamentámos não ter tido tempo para esse abraço?

E o amor? Só é mesmo sentido pelos Parvos? Ou mais parvos são aqueles que não o sentem, que o desvalorizam, que o repudiam...?


"Inevitável. A palavra certa é inevitável e lembro-me que foi essa a palavra que me ocorreu enquanto te abraçava e tu me abraçavas a mim. Era forçoso que assim fosse, não porque o quisesses tu ou o desejasse eu. Não porque não te amasse, ou porque não me quisesses tu. Simplesmente tinha de acabar, de uma forma ou de outra e, sendo assim, antes terminasse com um abraço. Mas tinha que acabar. São coisas que não se explicam, ou que, tendo explicação, não podem justificar-se recorrendo às escorreitas equações da lógica. Eu amo-te, tu amas-me; logo: separámo-nos. Tu vais e eu fico. Sofres tu e eu sofro também, porque tem mesmo que ser assim e não podia ser de outra maneira. E, se calhar, tinhas razão – o amor é mesmo para os parvos."
Manuel Jorge Marmelo 
in O Amor é para os parvos

5 de janeiro de 2013

Ó sr. Doutor!

Ainda continuo estupefacta com a história da injecção da módica quantia de 1.100 milhões de euros no Banif...

Aquilo que se me apraz dizer é que se andam a picar com a seringa das farturas! Só pode! E que se querem injectar alguma coisa.. aqui fica uma sugestão:

 

Tenham decência!!!

Insatisfação?!

Por melhor que a vida nos corra... falta-nos sempre algo.
Ambição, inconformismo, insatisfação... seja o que for, queremos sempre mais, diferente, melhor...
Pois provavelmente temos de repensar este estado de alma. Mais do que querer o que não temos devemos querer e valorizar o que já é nosso.
Precisamos de tão pouco para sermos felizes...


"E do que precisamos?
Anote aí, é pouca coisa: silêncio, arte e amor!" 
(Martha Medeiros)

4 de janeiro de 2013

Para reflectir...

Ao viver algumas histórias, ao ouvir outras tantas, surgiu-me uma questão que ainda não consegui ver respondida.

Há histórias que não tem um final feliz exactamente por isso... porque têm um fim. Ou pelo menos aparentemente. É que às vezes, por muito que alguém diga que está apaixonada(o) por outro(a), não se consegue afastar por completo do antigo par. Mas, se de facto, está in love por outra criatura, porquê que isto acontece?
Por egoísmo? Por se querer o melhor dos dois mundos? Ou por, no fundo, não se saber muito bem o que se quer?

Dúvidas...

Estava para aqui a pensar... #1

... naquelas pessoas que passam o tempo todo (e mais seis meses) a queixarem-se da "vidinha", das dificuldades com que se deparam (amorosas, financeiras, profissionais) e que tu pacientemente escutas, aconselhas e até cedes o ombro...

E quando chega aquele momento em que és tu que tens a ousadia de querer suspirar um pequeno problema/desabafo... não têm tempo para te ouvir (provavelmente porque estão a pôr em prática os teus conselhos).

Entretanto, encontrei uma explicação:

(Oops, desculpem a linguagem mas...)

3 de janeiro de 2013

Dou-vos música...

... hoje!

Porque o dia foi passado a correr (não literalmente, ainda) e porque o sono está a vencer-me passo para vos "embalar" com esta:

The National - Think You Can Wait

Vale a pena ouvir!
E esperem... prometo voltar amanhã. ;-)

Abreijos!

2 de janeiro de 2013

No pare... Sigue, sigue...

É oficial!

Estamos em 2013 e já não há nada a fazer. Ou, pelo contrário, é tempo de fazer tudo: mudar umas quantas coisas, (re)começar outras tantas,...
Geralmente nestes primeiros dias enchemo-nos de planos, projectos para o futuro. Nomeadamente, para os próximos 11 meses e meio, pelo menos. Porque depois... depois o ciclo repetir-se-á.
Pois eu já vou com 3 dias de atraso. Não fiz a lista que era suposto com os 47 itens (ou mais!) que pretendia cumprir este ano. Quis, orgulhosamente, fugir à tradição! Mas... e agora?!

Tenho o feeling que me vai acontecer o mesmo do que quando vou ao supermercado sem a listinha... esqueço-me do arroz e em compensação trago 3 (ou 6!) tabletes de chocolate (negro, de leite, branco, e com amêndoas.. hmmm!!)
Até lá tenho algumas coisas já registadas na minha cabeça: a par do trabalho há toda uma tese para escrever, livros que quero ler, viagens para fazer, família e amigos para mimar, arquivar histórias que não nos levam a lugar algum, alimentar outras que tendem a fazer de nós pessoas melhores e, tenho ainda um corpo para cuidar... o meu!
Tanta coisa! Ui... que não vai ser fácil! ;-)